Dane-se as crônicas de seus contos de sexo

Lilinha Overdose sendo Catártica ou Sarcástica  Lilinha Overdose tem ódio e resolveu expurgar em nota no blog:

 Aquele estilo típicos de roqueiro sujo, que faz show por trocados,  não sabe cantar faz cover. Monte de groupies querendo se sentir “Groupies são comumente conhecidas por seguir, idolatrar e fazer sexo com os seus Rock Stars Favoritos. O site GroupieDirt.com reuniu vários destes relatos íntimos e fala os grandes podres por trás da vida sexual de vários astros da música”…

Engraçado que não vi parte Rock Star na cama, nem no show… Soltou minha mão foi viver seu mundo, senti sua indiferença de estrelinha, pela milésima e ultima, visitou minha cama e partiu pela tarde, um compromisso de carona pro inferno… Eu que me preocupei com seu coração quando ele quase parou, fui de encontro mais rápido possível em ritmo frenético pra te encontrar correndo preocupada, chego em sua casa deitado no colo desses tipinhos “groupies” de banda cover…

linhas-de-metrc3b4-2016-l18-bronzeAndei lendo seus post e lá está: para escolher os temas de livro de suas crônicas você debate e questiona com amgs, ri e se diverte mtos apoio pra vc contar sua lista enorme de compulsivo por sexo…sexo? Lista dos seus fodas!!!! Pensei você não é nem louco assim!!! To sabendo… Raiva me domina acendo cigarro, lembro das noites que cedi minha cama, meu calor, meu amor amg, sei que no começo a curiosidade de  Ninfa experimentar como é sair com compulsivo sexual foi intrigante, até porque sabia lado ninfa que fui, queria sentir oposto lado do sátiro, mas eu estava com raiva mortal do meu ex que provavelmente começou me trair no seu show… Vc sabe porquê? Por morrer de ciúmes de vc aquele imbecil, pois tudo a perder…até então éramos somente amigos eu e vc , mas ele me jogou seu braços aquele demoninho e fui na raiva… Dps eu fiquei analisando seu desempenho sexual, a forma no começo, que a possibilidade do ato sexual entre nós iria ocorrer e  se aproximava, você  transparecia fogo que queimava …tantos anos de apenas amizade, eu sabia do seu método predador, eu sabia suas artimanhas, no começo não estava nem ai de cair na garras do lobo mau, já que tinha raiva, raiva do outro, raiva de vc, por se aproveitar daqle momento fragilidade pra se valer do título da conquista , devorando a carne como um canibal, as estreitas do bote, se deliciava,  eu vi no seus olhos, o completar figurinha do álbum! Mas vi também desejo ardente, lembrava do primeiro dia que conheci sua mãe, ela falava que dez palavra q vc dizia as 10 tinha meu nome, pareceu tão sincero que nunca esqueci esse momento.

Vc tocava pra mim aqla noite eu via as groupies me fuzilava e me fuzilam até hj. Bem uns 4 anos me cercando, me rondando a espera desse momento, já sabia de tudo isso, não  era inocente, eu era a raiva e ódio com sede de vingança, ñ contra meu ex que me traia, mas contra minha alma que desejava vingar-me mesmo que isso para outro traidor não ocasionasse o mínimo impacto, eu não me importava nem se ele ia saber…. Era por mim!!!

E tempo passou raiva cessou e passei sentir nada , tanto fazia ter vc, tão pouco me importava, era indiferente, mas eu te amava demais como amigo, era confortável te ter, depois a análise do seu comportamento com meu de ninfa estava se tornando distante, me deixava no controle, equilibrava a balança… Quando me dei conta disso teria passado mais de um ano… Estávamos nisso sem frequência lógica sem cobrança, eu nunca ia no seu show, não participava de nada, não era pelo rock sempre amei, mas era libertinagem que rondava pelo seu lado, a falta de vontade também de sair, nunca fui enérgica como vc, quando fui a primeira vez, já era quase um ano e meio de casos,atos e sexo… No show senti como se seu mundo me invadisse, eu sentia seu filho no meu útero, eu bebia por que naquela cena não tinha espaço pra família que minimamente idealizei, mas não!com vc não tinha espaço que eu queria, era os anos pesando, senti tontura quis ir embora, me despedi na loucura do seu cover.

Cheguei em casa e abortei essa cena, família ? tava louca nunca senti por você amor que desejei. Sangrei não sei por qual motivo! Por entre as pernas! Ou pelo tanto de sexo que pensava que vc iria fazer com outras em 10 anos de casamento…..tanto de  sangue que escorreu… Que a hemorragia da alma interna  espiritual e vaginal parou….

Era mais uma fantasia o fato de seu desejo, parecer sincero e mentiroso me aguçava curiosidade de saber se vc me amava, ou me usava, jogava comigo, porque vc sempre se refugiava em mim e eu em você… E mais meses passaram.. Hoje resolvi olhar seu post pra ver se tava tudo bem, queria te pedir pra vir como sempre costumamos fazer, mas nos últimos tempo tenho evitado porque a medida que eu queria gostar de você eu também queria desfazer nossa relação sermos só amigos, mas hoje li seu post e senti raiva pq eu vi que vc começou a contar seu casos sexuais e quando chegar em mim? O que vou fazer ao ler sobre meus atos saber como foi pra vc, saber que não tenho nada de especial e mágico como pensava antes de você me foder, eu me sentia diferente especial antes, agora me sinto como todas elas, nada especial, pior por saber como ninfa que jogo de sedução e forma de poder de envolver é tudo parte do  ato compulsivo, o meu jogo parei antes de vc roqueiro sujo!!! Por barganha quando era feliz com quem eu achava q era o homem da minha vida, me senti obrigada a trocar compulsão sexual  por compulsão em comprar, ele me completava totalmente não sentia mas vontade de arriscar perder ele e nem de sair com mais ninguém, mas acabou relação, eu morri sexualmente como ninfa, e com a relação, o jogo acabou, mas eu lembrava como era antes mas não queria isso pra mim, mantive a mudança mesmo estando duas vezes morta por matar a ninfa que tinha em mim, por amor, por ter que depois matar aquele amor em mim, então no outro turbilhão da vida dps de passar tanto tempo, eu estava ali entregando a ninfa morta ao sátiro vivo.

Mas voltando a hoje o ódio,ao ver que vc tá mesmo disposto a contar seus fodas me abalou sei que demoraria talvez eternidade a chegar em mim, pela quantidade da ordem da fila, me revoltei não quero ler sobre isso, não quero nem imaginar como você descreve como eu ” trepo”, como a ninfa morta faz, como foi pra vc em relatos melosos como o que li hoje, senti nojo, não quero que minha vez chegue, como pode querer expor, exponho eu então primeiro!

Me vejo sabe sendo não honesta, fingi gostar, pra ver sua reação, descobri que você não gostava de mim nem eu de vc, só nos acomodamos no sexo, na verdade sua parte se tornou confusa quando penetrou em mim pela ultima vez umas semanas passadas,não sei ali o que é jogo o que é verdadeiro, não sei  os sentimentos, só sei as destruições do seu som da pesada!

Uma vez eu falava sem parar eu olhava pra televisão e de repente mto rápido olhei pra vc, que me admirava e parecia me babar, eu vi amor, foi momento que desviei os olhos e fingi que nada tava acontecendo, que não tinha percebido, mas vc ficou meio sem graça fez cara “-tipo cara ela sacou agora ferrou!”

E isso passou, hoje entendi porque as groupies expõe seus casos acho que senti o ódio delas, me senti no lugar delas, eu que evitava ser uma, acabei no mesmo caminho, a diferença delas é super Star rock uaalaalalal que diferença entre as merdas!

Groupie de cover com risco de o cara expor, qualquer momento intimidades, espero q ele esteja na ordem cronológica de inicio assim tenho chance de livrar desse maldita crônica! Se eu fosse Courtney Love teria puxado gatilho e pulado fora também, esses roqueiros são seus próprios sons em estrago em suas vidas! Ensurdecem nossa alma com tanto barulho! Mas eu prefiro método de Gandhi não a violência, dieta sexual também de Gandhi quando você meu Bab’s roqueiro sujo aparecer!!!

Ai esqueço tudo e me desconcerto no som barulhento do rock n’roll e sexo! Apago cigarro e vamos a cama a ninfa morta e sátiro vivo! Dps acordamos faço café, com apenas comidas que vc pode comer, tento dar meu carinho no café, fazer daquele momento , o único que parece de uma relação normal entre casais onde se despede com beijo pra ir trabalhar. Sempre penso que seria ultima vez, que depois da despedida estarei decidida encontrar meu amor, mas ai vc meu roqueiro sujo não invade tanto é tão bom estar na sua ausência por uns tempos, quanto sua presença sexual nos bastidores de intervalo do seu rock n’roll.

😎🤘🏼👯👯👯🔫🚬☠🚫✅

Quando isso acaba? Se quando ele vai embora sinto falta só naquele momento, depois esqueço e lembro só quando desejo da ninfa morta aperta e dps ele sempre volta mesmo sedento por um momento a mais, eu me deixo levar pelo barulho que sua persona rock me traz e me tira do silencio da minha solidão e do cochicho do ecoar da minha própria voz!

Sid Nancy.jpg

Anúncios

O Despertar sobre nuvens de algodão

ImagemEu Lilinha Overdose acordei com lágrimas no rosto, nem sempre a vida é esse platonismo todo…

Eu já tive um bom namorado, é surpresa né, nunca ter falado dele, sempre com meu incansável romantismo pelo professor aquele “Bukowski”, que despertou  mesmo mil sensações… mas bem antes dele aparecer eu tinha saído de uma relação, foram dois anos de muita felicidade, parecia que ele completava minha alma, mas a gente foi morar junto e menos de três meses tudo acabou, nosso casamento informal mal durou o período de experiência…seria cômico se não fosse trágico… e dessa tragédia  ficou um vazio que nem mesmo ele conseguiu mais preencher, o vazio foi crescendo eu tive sim nesse intervalo, várias relações intercaladas com recaídas, até que eu conheci um certo Petulantezinho,  e foi quando eu construi uma relação diferente de amor e ódio, guerra e sexo. Porém a medida que um parecia a sombra do outro ou seja quando eu sai com um outro se ausentava por um período, eu me sentia vazia com “Dois homens”, eles eram bons comigo as vezes e outras tantas cruéis! Eu vivia essa coisa ambígua, já nem sabia o que podia esperar ou sentir não dominava meu corpo, sentimento e alma pelo contrário estava perdida neles e com eles ‘Os Dois’. Eu sabia que nenhum deles, já não era mais meu por sentimento, era só desejo e eles correspondiam. O amor não era para mim, não sentia mais nada semelhante ou que me enganasse, queria eu está cega de amor, porém eu enxergava perfeitamente e só via dois amigos de cama, sexo e companhia…

Eu sabia que a dúvida sobre escolher um dos dois não iria me adiantar nada, naquele momento eu só sabias dizer sim e aceitar a sede de desejo. E pensava: “até onde tudo vai parar”? Eu sabia que precisava colocar um fim ou recomeço em uma relação, até que um dia, Cansei! Chorei últimas lágrimas e dei meu último beijo de judas no meu ex-namorado, eu sabia que não o veria mais e ele era importante para mim. Eu passei dois anos incríveis ao lado dele e nenhum momento pensei em esquecer isso. Essa era minha dor de saber que, o deixando partir talvez ele não voltaria, mas já era a hora daquela angústia de dúvida “o não saber a verdade que se passava do outro lado”, que me destruía, ter um fim. E também com certa idade, a gente vê todo mundo casando, tendo filhos e dando certo se construindo, “Existindo”… Eu além de voltar a estaca zero, não via futuro nem de um lado, nem do outro… não me enxergava ao lado de nenhum deles em futuro distante. Antes desse ioiô todo com meu “Ex” um pedaço da minha frase (“não me enxergava ao lado”)  foi o que escapou dele, antes da gente terminar, em uma briga foi ele quem  disse que ” não se via ao meu lado no futuro, que não conseguia enxergar a gente tendo filhos, porque não era o que ele queria”.

Lembro que tudo que brigamos ficou esquecido nesse momento para mim, como essas palavras me doeu a alma, muito mais do que o real motivo da discussão. O cara que dois anos atrás insistiu durante dias para sair comigo, eu nem queira… me deu rosas e ursinhos, presentes do mais simples ao mais caros. Logo na primeira semana que ficamos me apresentou em festa de sua família como sua namorada (eu em choque de notícia nem conseguia negar naquele momento, eu de fato diante da beleza do ato dele e de sua família  queria sim ter algo com ele, pertencer aquela família e que desse certo, por outro lado também, sempre fui libertina e sentia no mesmo instante uma vontade maior de fugir de tudo aquilo) mas fui em frente … o que me tocou e me segurou de fugir dele foi o fato da tia dele dizer “ele nunca trouxe nenhuma namoradinha, nem ficante pra gente conhecer você é a primeira que a gente conhece, pelo menos que ele tenha assumido”… eu achei tudo tão fofo que preferi desfazer a ideia de fugir… esse cara que cuidava de mim com tanto amor em período de adoecimento, me mimava e amava com uma profundidade todos os dias… comprou um chip de celular sequencia, pra que o final dos nosso números fosse 01 e 02, ele era um e eu o dois… que me ligava toda noite até esgotarem nossos dois bônus… que me sequestrava de madrugada para comprarmos cerveja, ou vinho, batata frita e cigarro no mercado para dormirmos coladinhos… que saia correndo do trabalho para jantar comigo todos dias possíveis e sempre com amor nos olhos aquele brilho, invejável até, que falava sempre ao ir embora: “Mô me liga ou te ligo?”… que me trazia um docinho ou chocolate só pra ver meu sorriso ou olhar infantil brilharem, dizendo “você fica tão linda parece criança feliz assim exatamente depois de ganhar um docinho” … que em dois anos era difícil ficar longe um dia.. éramos quase 24hrs grudados…esse cara disse o quê, quem ele era?

Eu não mais o conhecia, só sabia que começou a mudar quando ele começou a ir na casa do irmão dele, eu sentia que estava me perdendo dele e ele de mim. Eu não sabia como reagir diante disso, mas precisava lutar ir até o fim pra ver o que tinha lá, mesmo que  fosse o fim da relação, e foi o que realmente busquei. E quando não aguentei voltei para minha casa de mala e tudo, e não aguentando essa frase rodando minha cabeça “se ele não se enxergava mais ao meu lado, se tudo tinha sido só aquilo, não tinha para mim razão de continuar”. Eu não queria alguém que não me deseja em seu futuro, não queria ser um peso ou ser só presente… eu queria construir algo aos poucos não precisava ser imediato, nem tão perfeito e planejado porque eu adorava até seus defeitos, eu nã planejava o futuro e me dei conta que o futuro também é presente… mas eu precisava naquele momento sentir que ao lado dele eu teria tranquilidade, para aos poucos saber o que construir e o que eu queria e ele também, sabia que, nada é pra sempre, não era isso que eu queria impor, mas se no presente a gente gosta de alguém é óbvio que a gente se enxerga ao lado da pessoa pra frente, que desejamos que essa pessoa continue em nossas vidas com ele não enxergava?

A forma com o que ele me  disse parecia que já me excluíra de seu futuro, então não tinha porque continuar, tudo para mim perdeu o sentido, eu nem acreditava mais na nossa relação, nem no que ele sentia por mim, mas eu tinha um dor tão imensa dentro da minha alma, um vazio, solidão que nem mais ele preenchia, eu me sentia sem um pedaço novamente e mal conseguia imaginar como recomeçaria, como seria minha vida sem ele… então fui atrás dele no desespero, agonia e terminei.

E ele em contrapartida disse que “não conseguia se ver sem mim, que não se imaginava com outra mulher e que não suportaria me ver com outro também, para não fazer isso com ele, pra ir pra casa pensar”… E eu apenas disse a ele: “você disse que  não me enxergava ao seu lado, que não me imaginava sendo mãe dos seus filhos e agora não se imagina sem mim? Você tem duvida pelo que sente por mim, se há duvida é porque ainda não é verdadeiro pra você, eu não quero ter um namorado que não se enxerga ao meu lado no futuro, se for assim prefiro ficar solteira, por mais que isso arranque um pedaço de mim agora o maior você já tirou…porque com essa dúvida que fosse trouxe também, já não me vejo mais com você”. Eu não entendia porque ele destruía nossa relação, só vi o ápice do conflito e eu enfraquecia por dentro…

Ele pediu tanto para pensar depois disso, ir para casa descansar e eu fui, me deixando no gosto amargo que algo estava mesmo morrendo entre nós, não tinha concerto. Toda vez a frase rodava em minha cabeça, era pior que traição. Traição tem desejo, tem vontade de esconder para se manter preservado algo maior que se almeja, que não se deseja perder mesmo apostando que aconteça. No nosso  caso não tinha nada, não tem futuro!

Era como algo que não se cogita existir pra você, não pode existir fato. Eu parei de existir para ele nos últimos dias, no presente, porque se eu não estava no futuro, ficaria apenas no passado. E assim fui ficando. Logo eu teria que já começar a preparar para aceitar o fato insuportável, que ele também não estivesse no meu futuro… e que em breve eu não existiria mais para ele, seria uma invisível chorando na tempestade… Na tempestade não se vê as lágrimas. E foi assim que desapareci.Imagem

Foram épocas difíceis e o pior foi meu aniversário, pois eu sabia que naquele ano eu não iria esperar ele na janela, que ele não iria me ligar desejando estar ao meu lado, não haveria surpresa, não tinha nada, era vazio solidão ao olhar pela janela naquele ano. Me senti inexistente, invisível, minha historia tinha se apagado junto com a vela do bolo, de um assopro vazio ao do doce do chocolate amargo, um parabéns de sonhos acabados feito fumaça, evaporados após as nuvens negras de algodão doce.

Imagem“Nem sempre minha história foi um platonismo todo” (foi insight que tive esses dias), pois no platonismo há pouco espaço para realidade e eu estava tão cansada da minha realidade… que foi no meio dessa dor e vazio que eu senti uma chama que reacendia da vela apagada voltando sobre nuvens de algodão doce, que chovia bolhas de sabão. Era o professor surgindo em aulas de amor.Imagem

E Flutuando em novas fantasias estava eu Lilinha Overdose…fantasias que viraram bolhas de sabão, que estouram as primeiras bolhinhas em menos de um segundo de fração.

Lá estou eu, dentro daquela bolha querendo falar com ele, mas ele não me escuta, a ansiedade em minha garganta almeja gritar, eu grito mas soa tão abafado, que o sons das palavras são distorcido e multiplicados em meio a multidões de bolhas vazias de sabão, que o distancia  de mim ao assopro de cada palavras ditas.

ImagemEntão meus braços vão em intenção de tocá-lo por desespero, mas o receio surge, pois ao tocar a parede de minha bolha, ela estoura e então, estarei lá fora sozinha novamente, assoprando ao nada sobre o vazio de um circulo que fiz com minha próprias mãos, sobre minha alma de sabão com o mar de lágrimas de solidão, construindo novamente aquelas tempestuosas de nuvens de algodão.

Era doce a nuvem de algodão?Imagem E professor foi ganhando espaços de fantasias, me afastando da realidade, onde sobrou o Petulante do inicio na realidade de meus dias.

O Petulante era apenas passagem em minha vida, eu sabia que ele não podia ficar ao meu lado, não duraria muito tempo, mas ele supria meus desejos e sonho com o professor que eram impossíveis de ser realizados corporalmente… E o Petulante era corpo eu tinha fogo por dentro com ele… eu sei que era ruim, de não estar com aquele Petulante de corpo presente, mas quando não era sexo a gente só brigava e excluía e aceitava ele quase todos dias em rede social, as vezes sentia que ele precisava de mim naquele momento também só em corpo para mais tarde ele pertencer de corpo e alma a outra mulher que poderia ama-lo de fato, tanto quanto ele merecia e eu me esforçava para lhe dar mais não era possível. Ele não me pertenceria sabia que outra surgiria a qualquer momento e eu tinha que esquecer a paranóia para curti nosso momento.

Já o Professor era minha louca fantasia, ele me  fez compor cada palavra escrita, virou o motivo para escrever… e aos pouco percebi que o amor que tinha por ele se realizaria, mas não com nós dois juntos,  e sim por palavras que movem as almas que não sentem. Concretizando-se em palavras já que um corpo sente e outro estremece e permanece intacto  por entre sensações intocáveis!

Ele era de corpo e alma de outra pessoa, por isso tive que me haver sozinha com que sentia, já que ele não compartilharia nenhuma palavra de amor que se pudesse escrever de sentimentos por mim…

E esse blog é parte de minha vida e em essência composta pelo meu professor que me inspira a pureza enjoativa de alma de um amor infante, de platonismo, que sobrevive para além de atual realidade, nas concretudes de minhas simples palavras escritas. Que compõem e personifica minha alma de algodão doce rosa em bolhas de sabão… Eu sou essência todas minhas palavras e estou e estarei em alma presente a cada leitura de uma frase por mim composta, atravessando entre o passado, presente e futuro, estando em essência de alma brincalhona que fincam raízes entre outras almas, em outros tempos, que com palavras se tocam e estouram uma de minhas bolhinhas de sabão,  me devolvendo o chão para compor a próxima palavra escrita. Peguem um bolhinha minha e estourem, me permitam penetrar a raiz do centro de suas almas infantes na passagem de um minutinhos de seus tempos, continuem com a presença de minha alma em suas vidas entrelaçando nossos tempos, em realidades simultâneas. Abrindo assim o portal do por entre o Tempo e Relógio, que logo se desfazem em nuvens de bolhas de algodão doce e rosa .

.35618111

 

 

JÁ QUE MEU EX ENTROU NESSA ESTÓRIA NO MEU LABIRINTO DE OVERDOSE O CHAMAREI DE ADRIAN E PRONTO ESTÁ FEITO ELE FOI INCLUÍDO NA MINHA DANÇA

Lilinha vivendo overdoses de livros

imageshgfMinha vida é um livro aberto,tá certo confesso que algumas paginas estão marcadas, anotadas, diversas foram rabiscadas ,outras tantas rasgadas  e algumas foram até arrancadas a força ou espontaneamente deixavam-se desgrudar da raiz de suas costuras com o passar dos anos. Hoje as páginas em sua maioria estão tão manchadas: por você, pelas pessoas, por mim, pelas lágrimas, e isso quando por sorte estas não estão muito envelhecidas , desgastadas  pelo tempo. As traças já se aproximam atraídas pelo cheirinho adocicado ou salgado do velho papel mofado. Mas o que te importas ?! Não querias que o livro estivesse apenas  aberto? Não fora com isso que te preocupastes e ocuparas todo teu tempo! Ora, não venhas me reclamar agora, é tarde. Pois a primeira marca foi você quem provocou com aquele marcador fluorescente, que encantava meus olhos por sua claridade e luminosidade, que quando refletida em papel assemelhava-se ao raio de sol.

1vg
Às primeiras anotações foram feitas a lápis para logo serem apagadas,  porém a medida que teu encanto ganhara confiança, invadindo o campo da importância, a alma se incumbiu de as transcreverem com caneta de tinta forte, para que jamais fossem apagadas do coração do livro. Mas a decepção do coração e da alma não suportaram e rabiscaram algumas anotações e quando muito perturbados rabiscaram palavras, frases e páginas do livro as vezes lhe feriam até a capa e folha de rosto com o pesar de tinta forte de seus rabiscos:  libertos de agressividade.

poiuyA agressividade passou ganhar força produzindo brigas e desacordo entre anotações e rabiscos. Surgiu o primeiro rasgadinho, que viraram rasgões. Algumas páginas foram arrancadas nessa guerra, e outras não aguentaram assistir tamanha destruição e sucumbiram, caíram desgrudando-se parcialmente ou de uma só vez do livro. Outras preferiram se suicidar na desesperança de continuidade ou desespero por em breve poder ser elas a próximas vítimas. As manchas começaram a surgir e marcaram território, as anotações se tornaram distantes e raras de surgirem nas páginas e os rabiscos ficaram para trás e aos poucos sumira. Ninguém sabiam de onde surgiram e como começou as manchas, porém elas pareciam vir de diversos fatores inimagináveis e logo iam tornando tudo amarelado com o tempo. O desgaste e envelhecimento se tornaram inevitáveis com os dias ganhados na estante empoeirada. As mãos já mal lhe tocavam só havia intensidade de toque apenas quando as mãos vinham limpar-lhe a sujeira, deixada pelo pó de sua ausência.  livros com fios, velho

Desgosto, frieza e desinteresse, pelo que estava escrito naquelas páginas não folheadas. As traças era a possível previsão de que o final chegaria aos poucos e o anúncio que páginas não seriam lidas. O final não era mais atraente a medida que as traças se dispuseram a se tornarem, as únicas leitoras tão fofoqueiras, a ponto de lhe contarem trechos do final do livro o que acabara com a graça e emoção que se espera da batida final do coração,que se tem ao chegar ao final da última pagina e assim fechar o livro. livro-caixa
Eis que aprendera a lição?De que condenara teu amado livro, exatamente quando provocara aquela lágrima, q caiu em sua páginas e as aprisionaram em suas almas a autodestruição. Rompendo assim a raiz do centro da última batida do coração!

imagesmmkk

Lilinha: sonho por uma overdose de aprendizagem

Índice1111

No corredor da escola do colegial Lilinha descia escada correndo, queria água urgente os bebedouros estavam sem água. Toca o sinal, Lilinha se distraí, os alunos começam a subir para a sala, aquele tumulto no corredor a deixa tonta de sede,a visão da menina embaça . Lilinha ganha uma bebida verde de Kiwi com vodka, ao conversar com um amigo e beija ele na boca sentindo seu hálito de Kiwi. crop.php

imagesbbbEla olha ao redor e enxerga melhor, está na faculdade e não mais no colegial, por isso não estranhou beber vodka com Kiwi. Seu corpo está mais sexy, seus seios bem maior, ela enxerga o desejo de seu amigo ao tocar seus lábios, ele tem sede de outros toques, pois devora seus seios com os olhos, a cada levantar que Lilinha faz com a garrafa de vodka. O garoto fica tímido quando Lilinha sussurra em seu ouvido: “eu sei, seu desejo quer tocá-los, mas te falta coragem de fazer aqui”— e sorri diabolicamente linda e fatal.

Uma dita amiga falsa de Lilinha interrompe a conversa dizendo que tem um  super babado para contar, e a garota “no friend” fala que andou fazendo sexo na rua com seu namorado. Lilinha mordida por ter sido atrapalhada no auge de sua paquera pergunta espontaneamente e venenosamente: Há quem você quer mostrar a sua sexualidade?

k-bigpic-7A Garota “no friend” sumiu e Lilinha já estava num prédio muito alto, já nem escutaria mais ela. Olhava a janela parecia Nova York um prédio comercial bem chique, deitada no divã conversando com seus psicanalistas favoritos Freud, Jung, Lacan, Winnicott eles parecem se divertir com suas pérolas encantadas de overdoidismo e a aconselham: “a fusão da vida e da teoria está nas experiências totais e isso já existe em você, só precisa despertar e lembrar Lilinha . Não se cria uma coisa que já existe apenas se descobre, acorde no um, dois, três e recorde disso Garota Overdose!
Em coro eles insistem para Lilinha acordar, mas ela não quer, deseja sonhar mais um pouco. E pergunta a seus Psicanalistas: e referente  ao professor o que devo fazer?
Eles gritam: Acorda Lilinha! Volte a sua realidade e faça a fusão das teorias, só precisa lembrar de esquecer o Professor. Bukowski não lhe interessa!

Charles Bukowskix435Lilinha acorda não lembra de nada, só de seu Bukowski pois está com seu livro na mão aberto bem na página da perdição, com marcador démodé escrito a frase de Descartes: Penso logo existo. E Lilinha pensou: eu não existo, de fato!
Lilinha precisa lutar contra o tempo, precisa que seu passado se encontre com a realidade presente, por isso precisa correr contra o tempo, para não ficar presa definitivamente no seu passado. Pois só o encontro do seu passado com presente, abre o portal para o futuro, onde a overdose se encontra em maior grau de dosagem permitindo-lhe nirvana de alucinações.
Lilinha vai embarcar nessa luta contra o tempo pela overdose de vida atual. Ai Ai…..o que será lhe espera nessa viagem no tempo desenfreada!?

tunel_temposs